Saguis – Callithrix jacchus e Callithrix penicillata: informações

010-06-24_JB_captura_(34)Esse post foi escrito pela Cris e Marina Zaluar, estagiária do Projeto Fauna que faz mestrado estudando os saguis. (Veja mais sobre a Marina em equipe).

76155_179884765359191_327882_nQuem nunca viu um desses saguis passeando pelos postes e fios das grandes cidades brasileiras? As duas espécies que encontramos nas metrópoles do sul e sudeste são o Callithrix jacchus e o Callithrix penicillata. Eles também são conhecidos como sagui-do-nordeste e sagui-do-cerrado, sauim, xauim, sauí, soim, massau, tamari e mico-estrela, dependendo da região do país.

Saguis exóticos: C. jacchus, C. penicillata e híbrido entre elas.

Saguis exóticos: C. jacchus, C. penicillata e híbrido entre elas.

São espécies de primatas de tamanho pequeno com garras eficientes, o que garante movimentos rápidos e habilidosos ao pular de galho em galho (ou em fios e telhados) e escalar troncos das árvores.

1003119_665387216808941_1190094257_nA distribuição original do Callithrix jacchus é a região Nordeste do Brasil acima doRio São Francisco, e do Callithrix penicillata é no cerrado brasileiro. Porém estes animais foram introduzidos pelo homem no sudeste e sul do Brasil, através da venda ilegal de filhotes retirados da mata. As pessoas os compram como pets, mas eles podem se tornar agressivos quando adultos (já que são animais silvestres, e não domésticos) e assim acabam sendo soltos ou fogem para as matas e parques das cidades. A origem “doméstica” dos saguis introduzidos aumenta a possibilidade de eles transmitirem vírus e bactérias para o homem e para outros animais que encontrarem pelo caminho.

Eles possuem uma adaptação dentária que os distinguem e permite que perfurem o tronco de árvores e se alimentem do exsudato. Este comportamento é chamado de gomivoria. Mas acabam também fazendo algumas dessas árvores morrerem. Dessa forma, eles conseguem sobreviver em uma grande variedade de tipos florestais, até mesmo nas cidades, e se tornaram verdadeiras pragas.

149237_180600385287629_8380796_nSão primatas bonitos e simpáticos, o que atrai a atenção de muitas pessoas nas cidades, que os alimentam com o intuito de ajudá-los, mas por ignorância acabam interferindo no equilíbrio da natureza. Esses animais ficam superalimentados e acabam se reproduzindo muito, sendo uma grande ameaça para as outras espécies que convivem com eles. Mesmo bem alimentados, mantém o hábito da caça de pequenos vertebrados (aves e seus ovos, principalmente) e invertebrados (borboletas, louva-a-deus, etc).

Os saguis são considerados espécies exóticas invasoras, porque estão fora de sua área original, estabeleceram população e afetam os animais e ecossistema nativos da região de onde foram introduzidos.

Primatas nativos: acima mico-leão-dourado e abaixo caveirinha no CPRJ

Primatas nativos: acima mico-leão-dourado e abaixo caveirinha no CPRJ

Esse intenso aumento da população de saguis em regiões como o sudeste do Brasil, representa uma grande ameaça para a conservação do mico-leão-dourado e do sagui-da-serra-escuro ou caveirinha (Callithrix aurita), espécies nativas de primatas que vivem nessa região, afinal:

  • as populações de saguis exóticos em muitos locais são maiores que as populações das espécies nativas, que são ameaçadas de extinção;
  • medidas das condições do corpo e da demografia indicam que as populações dos saguis exóticos são bastante saudáveis;
  • os saguis são competidores dos recursos alimentares, principalmente durante o inverno, quando os recursos tornam-se mais escassos
  • a associação entre essas espécies tem gerado mudanças comportamentais dos primatas nativos, principalmente do caveirinha, que hibrida com os saguis exóticos, o que faz sua população declinar mais ainda (pois nascem apenas híbridos e a população do caveirinha, ameaçado, não se renova).

76421_180601165287551_8339276_nOs saguis exóticos causam um grande desequilíbrio no ecossistema e em diferentes populações de diversas espécies. Portanto, é crucial que NÃO se alimentem esses saguis! Eles encontram todos os alimentos que necessitam na natureza de forma equilibrada.

Se encontrar os saguis no arboreto do JBRJ, NÃO os alimente nem cheguem muito perto. Animais silvestres podem ter comportamento agressivo, morder e, assim, transmitir doenças. Se observarem alguém fazendo alguma dessas coisas, alerte! Algumas pessoas fazem por desconhecerem o quanto é grave e complexa a questão que está por trás desses lindos e carismáticos primatas. Se houver persistência quanto a alimentação ou tentativa de tocar nos animais,  chame um guarda.

O Projeto de Conservação da Fauna do JBRJ, em conjunto com diversas instituições ambientais nacionais e estaduais, tem estudado formas de controlar as populações dos saguis exóticos. Pesquisando a ecologia e comportamento deles, prevemos ações futuras de esterilizações. Aguardem notícias!

Anúncios

Sobre Cris

Carioca, flamenguista, bióloga, primatóloga, viajante, casada. Metida a fotógrafa.
Esse post foi publicado em A Fauna do JBRJ, Mamíferos e marcado , , , , . Guardar link permanente.

13 respostas para Saguis – Callithrix jacchus e Callithrix penicillata: informações

  1. Até que enfim alguém tomando iniciativa de esterilizar essas sp. invasoras… o único modo correto e sem crueldade.

  2. anna tedeschi/ ARQUEÓLOGA E PRIMATOLOGISTA . disse:

    OS RESIDENTES EM ITAIPU E ITACOATIARA EM NITEROI , ESTÃO SOFRENDO COM GRANDE NUMERO DE SAGUIS INTRUSIVOS E HIBRICOS , INVADINDO SEUS LARES , ATENÇÃO , NÃO ALIMENTEM ESSES ANIMAIS. DEIXEM QUE ELES PROCUREM SEUS ALIMENTOS NO MEIO DO MATO. ELES DEVEM OBEDECER A CADEIA ALIMENTAR MESMO SE ESFORÇANDO PORQUE SE NAO INVADIRÃO AS CASAS PARA ROUBAR ALIMENTOS .

    • Cris disse:

      Isso aí, Anna.
      É muito importante que as pessoas não alimentem os saguis, como nenhum animal silvestre. Nada de comedouros, e instalem grades nas janelas para evitar a invasão.
      E vamos cobrar da prefeitura e estado um plano de controle populacional para os saguis exóticos (introduzidos e híbridos).

    • Tel Braz disse:

      Moro na Ilha do Governador. Aqui esses bichos estao destruindo a fauna nativa, Atacam os passaros , Ja nao temos sabias , rolinhas, cambachirras e por ai vai. Depois que eles dizimaram os passaros daqui estamos tendo superpopulacao de formigas que destrorem as plantas derrubam arvores por furaram os troncos e apodrecendo as cascas. O meio ambiente aqui esta bem desequilibrado e isto comecou pelos anos 2003. Esta muito rapido, Ja vimos casos de esses macacos matarem outro macaco o bugio que e nativo daqui, O que fazer?

  3. Pingback: For starters… | Sagüi (kind of)

  4. Marcello disse:

    quero saber a
    especie de um macaquinho que achei la no sitio. ele e amarelo o rabo dele e parecido com do quatí, alguem pode me ajudar a saber que especie e?

  5. l henrique disse:

    Muito interessante..mas nada de que não saibamos ha décadas….desequilibrio e causado pelos humanos… E a superpopulação de humanos? E a degradação causada pelo aumento populacional?

  6. Carlos Magno de Oliveira disse:

    Quero aqui agradecer a todos , em especial a pessoa ou profissional que orienta a não alimentar esses saguis. minha familia tem uma casa de prai em Araruama e sempre que vou la, parece que eles ja sabem quando chego , basta um assobio e ja estão aos “bandos”…mas de 15, aproveitando as bananas que eu colocava. Tenho uma sobrinha pequenina que adora ficar no meu colo observando os mesmos, porem com as orientações aqui conhecidas não mais os aliemetarei.
    Obrigado.

    • gabiheli disse:

      Muito obrigada por compreender. Ainda que a companhia dos animais seja muito bacana, a alimentação pelas nossas mãos, não é. Nem pra nós, nem pra eles, nem para o resto da fauna. Que bom que podemos contar com a ajuda da sua família!

    • Charles S. Barbosa - Biólogo disse:

      Verdade Carlos, Araruama esta tomada também os alimentava agora não faço mas, os pássaros estão sumindo. Preciso de ajuda, o que posso fazer?

  7. Pingback: UFSC Sustentável

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s