Paca, tatú e Cotia

(Cuniculus paca)

(Cuniculus paca) – o macho

Na 2ª feira dia 07/07 acompanhamos a soltura de 2 pacas (Cuniculus paca) no Parque Nacional da Tijuca. Os dois animais foram resgatados pelo Corpo de Bombeiros e pela Patrulha Ambiental no Itanhangá / Alto da Boa Vista nos meses de março e abril deste ano.

(Cuniculus paca)

(Cuniculus paca) – a fêmea

Os animais provavelmente foram atacados por cachorros domésticos e apresentavam lacerações no pescoço e flancos, perfurações de mordidas e outros ferimentos. Foram encaminhados ao Centro de Recuperação de Animais Selvagens da Universidade Estácio de Sá (CRAS) e tratados para a soltura. Foram soltas no Parque Nacional da Tijuca, em uma ação conjunta entre o PNT, o IBAMA-RJ, o CRAS e o Projeto de Conservação da Fauna do JBRJ. As 2 foram reintroduzidas no mesmo ambiente de origem, evitando o transito de patógenos inerentes à população nativa para populações de outras localidades, e participam de uma iniciativa de reintrodução de espécies.

Trabalhando em equipe JBRJ, CRAS e PNT

Trabalhando em equipe JBRJ, CRAS e PNT

As parcerias entre os órgãos na realização dessa soltura, assim como os trabalhos de acompanhamento de espécies reintroduzidas no PNT, são de suma importância. Pois os trabalhos realizados se complementam no sentido de preservar tanto a biodiversidade da região quanto a saúde e segurança individual dos animais resgatados. O fortalecimento dessas parcerias, o intercâmbio de informações e a possibilidade de ampliação no monitoramento de ocorrências de fauna vão corroborar para a qualidade e consistência do trabalho, gerando informações que poderão embasar ações e pesquisas na área, seja de forma conjunta ou de isoladamente.

(Cuniculus paca) - Reintrodução

(Cuniculus paca) – Reintrodução

(Cuniculus paca) - Reintrodução

(Cuniculus paca) – Reintrodução

Animais anteriormente comuns na região do PNT e do JBRJ, as pacas (Cuniculus paca) sofrem grandemente com a caça para consumo de carne e com ataques de cães domésticos. Compõe a fauna nativa da região.  São animais de hábitos discretos e seu avistamento é bem mais raro que o de outros roedores como as capivaras. São uma espécie indicadora de saúde do ambiente, ajudam na dispersão de sementes e colaboram no controle de espécies botânicas indesejadas, além de diversos outros serviços ambientais associados à esses animais.

Trabalhando em Equipe: Projeto Fauna JBRJ, CRAS e PNT

Trabalhando em Equipe:
Projeto Fauna JBRJ, CRAS e PNT

Anúncios
Esse post foi publicado em Animais atendidos e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s