no meio do caminho tinha um ninho

Manacus manacus - Rendeira Foto Alexandre Machado TODAS as fotos foram feitas a distância, com zoom, para não incomodar os animais.

Manacus manacus – Rendeira
Foto Alexandre Machado
TODAS as fotos foram feitas a distância, com zoom, para não incomodar os animais.

Durante a reforma do cactário, logo após uma chuvarada, os jardineiros foram surpreendidos por uma descoberta encantadora. Um ninho, no meio do bambu mais fininho. Ali, exposto ao tempo e à curiosidade, aos perigos e aos gatos, um ninhozinho frágil e desprotegido.

A reforma, urgente, foi desviada para outras partes também urgentes e o ninho ganhou mais uns dias. Foi o tempo dos filhotes se desenvolverem e voarem por conta própria.

Manacus manacus - Rendeira TODAS as fotos foram feitas a distância, com zoom, para não incomodar os animais.

Manacus manacus – Rendeira
TODAS as fotos foram feitas a distância, com zoom, para não incomodar os animais.

Os jardineiros e a manutenção, vira e mexe, paravam um pouquinho o serviço pra, de longe, olhar a mãe alimentar seus 2 bebês no ninho precário ali do lado. Ela ia e voltava, crente que era discreta, o dia todo, com insetos e fruta ‘mastigada’ pra eles.

Trata-se de uma família de Rendeiras (Manacus manacus), pequena ave rara de se ver no JBRJ, ainda que sejam mais comuns em outras áreas de baixada. O macho, bem enfeitado é o mais difícil de se observar no JBRJ, onde as populações são raras, sendo avistadas algumas fêmeas e jovens, ocasionalmente. A fêmea constrói o ninho e cuida dos filhotes sozinha.

Manacus manacus - Rendeira Foto Alexandre Machado TODAS as fotos foram feitas a distância, com zoom, para não incomodar os animais.

Manacus manacus – Rendeira
Foto Alexandre Machado
TODAS as fotos foram feitas a distância, com zoom, para não incomodar os animais.

Os ninhos são extremamente frágeis e sua proteção é assunto da maior importância para o Núcleo de Fauna do JBRJ, que iniciou uma pesquisa encabeçada pelo professor Henrique Rajão, da Puc Rio e o estudante e voluntário do Núcleo de Fauna, André Borja, uma pesquisa de monitoramento de predação de ninhos dentro do JBRJ.

 

 

Quando o Alexandre Machado chegou na minha sala dizendo que 1 filhote sumira, fiquei passada. Que triste! Mas, o dia todo de vigilância depois, Marco Massao vem com a foto do bebê são e salvo, empoleirado ali perto, já emplumado mostrando-se um machinho. No dia seguinte a femeazinha voou também. Tão rápido! Tão lindos!!

Filhote de (Manacus manacus) - Rendeira. O 1o a voar.

Filhote de (Manacus manacus) – Rendeira. O 1o a voar.

Aí, pessoal dos Observadores de Aves, quem vai ser o 1º a flagrar esse machinho no Arboreto!? Aguardo notícias!!

Aqui, a notícia do ninho no Gente Boa

Anúncios
Esse post foi publicado em A Fauna do JBRJ, Animais atendidos, Aves e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para no meio do caminho tinha um ninho

  1. Nadia L. Silva disse:

    Trabalho maravilhoso! Parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s