Ainda falando de Cágados

alexandre machado [P1230781Continuando o assunto da semana passada, ainda com a ajuda da Mariana Vergueiro e agora com a supervisão do Marco Massao Kato.

Além do Lago das tartarugas, com suas Trachemis hibridas e exóticas, há um outro cágado no JB. Nativo da nossa fauna, frequenta os cursos de água do Jardim e merece muito cuidado e atenção: é o cágado de barbicha ou pescoço-de-cobra (Phrynops geoffroanus).

alexandre machado P1230743O nome “barbicha” vem exatamente pela presença de barbelas no ‘queixo’ do animal, que servem para auxiliar na procura de suas presas, já que estes cágados costumam viver em ambientes alagadiços de baixa visibilidade, como charcos e brejos.

São onívoros. Alimentam-se dentro d’água de tudo, ou quase tudo, mas a principal fonte de alimentos são peixes, invertebrados e insetos aquáticos, ocasionalmente matéria vegetal e na ausência de recursos podendo se alimentar de carniça. Os machos são menores que as fêmeas, podendo chegar a 25 centímetros e pensando entre 0,6 e 1,9kg; enquanto as fêmeas chegam a medir 40 centímetros e pesar entre 1,5 e 3,9kg.

alexandre machado P1230758DSCN4933-001Muitas pessoas o chamam de “pescoço de cobra” por seu longo pescoço, eles pertencem a Subordem dos Pleurodira, cagados do hemisferio Sul que conseguem posicionar sua cabeça na lateral do casco ao invés de retrair como outros quelônios, por exemplo os Jabutis.

IMG-20150203-WA0015Se você estiver com paciência, procure-os no Lago Frei Leandro. Eles sobem à beira para respirar e colocam a cabeça pra fora, dando o ar da graça ocasionalmente. Mas não se anime, é uma questão de sorte: O baixo metabolismo permite que estes bichinhos permaneçam bastante tempo embaixo d’água.

alexandre machado P1230711O Núcleo de Fauna identificou a presença de, pelo menos, 4 animais no Lago Frei Leandro. Um macho adulto microchipado foi resgatado diversas vezes em passeios pelo arboreto e esta sempre por perto na hora da alimentação dos peixes. 2 jovens microchipados foram resgatados durante o manejo do chafariz central, onde chegaram, provavelmente, muito pequenos, passando pelos encanamentos e ficando presos por lá. Eles foram soltos no Lago Frei Leandro, onde tem mais condições de sobrevivência. Sabemos que no Lago tem outros indivíduos, que foram avistados, mas nunca capturados para exames e microchipagem.

015-10-29_JBRJ_soltura cagado de barbicha_Alexandre Machado015-03-005Agora você já sabe a diferença entre tartarugas, cágados e jabutis! E sabe também que, dentro do Jardim, existe uma espécie de quelônio NATIVA da nossa fauna! Agora que nós já estamos a par da situação, vamos conservar a fauna nativa e preservar a biodiversidade da nossa Mata Atlântica!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios
Esse post foi publicado em A Fauna do JBRJ, Animais atendidos, Repteis e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s